Serra do Salitre – Vitrine de Cafés Especiais

O Brasil há mais de um século lidera o ranking nas exportações de café verde (commodities) em todo o mundo, e agora vem se destacando também pelo aumento nas exportações de “Cafés Especiais”. Antes a quantidade era nossa única preocupação, mas com a crescente procura por produtos diferenciados, novos métodos de extração, bebidas que remetem a chocolate, frutas vermelhas, avelã, dentre outros; vemo-nos na obrigação de atender a estas novas exigências, para assim não perdermos mercado para os demais países produtores.

Café especial na xícara, também tem que ser especial no campo. O seu preparo é muito minucioso e qualquer erro pode colocar tudo a perder. Geralmente os cafés superiores, quando chegam do campo precisam ser lavados, separados dos demais, colocados em terreiros suspensos, fora do contato de qualquer contaminante. Depois de seco deve ser colocado em tulhas de madeira, longe de qualquer umidade e luminosidade; deve descansar por alguns dias (ou até meses) para homogeneização dos grãos. Depois de tudo isso é beneficiado e passa por diversas máquinas eletrônicas para escolha dos melhores grãos; só assim irá para a xícara do provador, o qual verá se o lote de café alcança uma pontuação mínima para que seja considerado um “Café Especial”.

O Brasil vem ganhando bastante espaço no crescente mercado de “Cafés Especiais”. Diversas regiões produtoras trabalham suas características e particularidades, pois sabem que, como no mundo dos vinhos, os cafés tem “terroir”, atributos específicos de uma determinada extensão de terra (região). São muitas as aptidões regionais analisadas na formação de um “terroir”, tais como: altitude do plantio, tipo de solo, microclima, variedade dos cultivares, índice de insolação, e muitos outros fatores que influenciam diretamente na bebida destes cafés, e que podem variar de uma região para outra.

Uma região que se destaca pela produção de cafés de altíssima qualidade, é o Cerrado Mineiro. Por ter temperaturas brandas e umidade relativa do ar reduzida na época da colheita, os cafés desta região diminuem significativamente a chance de perda de qualidade, pois um dos principais inimigos de um bom café é exatamente o excesso de umidade, o que pode levar a uma fermentação malévola dos grãos. Um dos motivos de destaque da região perante as demais é o processo definido e concretizado, já a alguns anos da DO (Denominação de Origem Geográfica) desta região. A denominação de origem do Cerrado Mineiro é constituída por 55 municípios, que produzem um produto (café) com características únicas e que não podem ser encontrada em nenhum outro lugar. A DO é reconhecida pelo INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), órgão do governo federal, que atesta que os cafés desta região têm determinadas características e um processo rigoroso de rastreabilidade.

Dentre estes 55 municípios que compõem a região do Cerrado Mineiro, um vem se destacando pela alta qualidade de seus cafés: Serra do Salitre. O município tem como aliado, a sua altitude, que pode chegar até 1250 metros acima do nível do mar, fato que contribui muito para produção de cafés superiores. O clima ameno, e a umidade relativa do ar muito baixa, são outros importantes fatores que contribuem para o alto índice de grãos de alta qualidade. A cidade é sempre bem colocada em concursos de qualidade de café dentro e fora do estado. Grandes compradoras de cafés finos como a torrefadora Italiana “Illy Café” e a Suíça “Nespresso”, já sabem disso e compram cafés do município há alguns anos, seja através de cooperativas e ou corretoras. A nova “onda” que os produtores de Serra do Salitre querem surfar é a produção de “Cafés Especiais”, e que seguem os critérios da SCAA (Associação Americana de Cafés Especiais), que avaliam os atributos do café por pontos. Somando as facilidades naturais do município para produção de cafés finos, com o desenvolvimento de técnicas de manejo no pós-colheita e o emprego de novas tecnologias, os produtores desta pequena cidade, acreditam poder levar seus cafés aos mais exigentes paladares do mundo.

Pra finalizar, vale ressaltar que a imersão no mundo dos “Cafés Especiais” é um caminho sem volta, que vai levar Você consumidor a buscar sempre mais; experimentar diferentes “terroir’s”, conhecer as regiões produtoras, os produtores e suas histórias… É um mundo apaixonante e encantador. Vale a pena se entregar!

 

Eduardo Lana da Cruz

Graduado em Administração de Empresas – UNICERP (Centro Universitário do Cerrado);

Pós Graduado em Agronegócios e Desenvolvimento Sustentável – FAFRAM (Faculdade Dr. Francisco Maeda);

Pós Graduado em Agronegócio do Café – FIA (Fundação Instituto de Administração);

Coproprietário do Café Offerenda – Cafés Especiais.

2 thoughts on “Serra do Salitre – Vitrine de Cafés Especiais

  • ZELIA ALVES DA SILVA

    Boa Tarde gostaria de contato para representar o produto na praça do Triangulo Mineiro…
    34- 98841 4626
    Aguardo manifestaçoes

    Responder
    • Gino Mantuano

      Boa Tarde gostaria de contato para representar o produto na regiso do Rio Grande Do Norte…

      Responder

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *